“Carmen”, curta-metragem produzido e filmado em Brusque, estreia nesta sexta-feira no Cine Gracher Havan

Estreia nesta sexta-feira, 2 de junho, às 18h25, no Cine Gracher Havan, o curta-metragem Carmen. Produzido e rodado em Brusque, o filme permanece em cartaz até a quinta-feira 8, sempre no mesmo horário, e o ingresso será um brinquedo novo. A produção é do Curso de Cinema do Coletivo Hiato, em parceria com a produtora de vídeos de Brusque, Griô Filmes.

Com 20 minutos de duração, Carmen conta a história de uma mulher (Talita Garcia) que suporta dia após dia o abandono do marido. A fé é a anestesia para a sua dor. Seu filho, Joaquim (Luís Henrique Petermann), torna-se, aos olhos dela, o reflexo obscuro do pai – de quem ambos tentam superar a ausência.

O cineasta Ricardo Weschenfelder, professor da turma de Cinema do Hiato, observa que, em Carmen, “a relação entre mãe e filho é permeada por tensão, frustrações e desejos reprimidos, numa narrativa que trata de forma psicológica e simbólica esse conflito”.

Criação

Ao longo de um ano, 14 alunos do Curso de Cinema do Coletivo Hiato estudaram conteúdos como roteiro, história do cinema, linguagem cinematográfica e produção. Carmen é o projeto de conclusão desta turma. Weschenfelder ressalta que o processo “passou por todas as etapas de realização de um filme, desde a criação até a pós-produção”.

Diretor do curta-metragem, José Luiz Day considera a estreia no cinema “um reflexo da cena crescente do cinema independente em Brusque, além de ser fundamental, para a vida da obra, a visibilidade dentro da cidade onde foi criada”.

Para o roteirista e ator Luís Henrique Petermann, de uma outrora possibilidade quase remota, fazer cinema em Brusque virou realidade: “Floresceu na cidade uma jovem guarda de amantes das artes, dentre as quais o cinema. E exatamente essas pessoas, destemidas, uniram-se em prol de algo maior. Do sonho cinematográfico brusquense. Tenho orgulho de saber que faço parte desse seleto grupo e de ser fonte de inspiração de novos aventureiros de ‘Valewood’” – o termo informal, ele explica, tem sido usado para designar a produção de cinema no Vale do Itajaí.

Intérprete de Carmen, a atriz Talita Garcia destaca a importância de oportunidades assim acontecerem no município: “Os cursos de cinema e teatro, dentre outros que vêm sendo realizados em Brusque, possibilitam se busque esse conhecimento aqui mesmo, com profissionais qualificados. Espero que esse movimento cresça ainda mais. Temos gente e qualidade técnica, de captação de som e imagem, para isso”.

“Carmen faz parte do bom momento da produção em cinema e audiovisual na cidade, com lançamentos e filmes em fase de pré-produção”, complementa Weschenfelder.

Sinopse
Carmen - Divulgação

Carmen suporta dia após dia a ausência do marido. A fé é a anestesia para a sua dor. Seu filho, Joaquim, torna-se, aos olhos de Carmen, o reflexo obscuro do pai. Uma casa onde desejos são servidos à mesa. O que é divino e o que é mundano?

Ficha Técnica

Realização: Coletivo Hiato. Produção: Griô Filmes. Elenco: Talita Garcia e Luís Henrique Petermann. Direção: José Luiz Day. Roteiro: Luís Henrique Petermann. Direção de Produção: Ricardo Weschenfelder. Produção Executiva: Lia Sabino. Direção de Fotografia: Roner Lucas Becker da Luz e Janaína A. Cavalcante Garcia. Direção de Arte: Morgana Moresco. Assistente de Direção e Continuidade: Carol Araldi. Câmeras: Alessandro Vieira, Leandro Cogo Bolsan, Valmor Deunizio Junior, Roner Lucas Becker da Luz. Som Direto: Nícolas Krieger. Microfonista: Jorge A. Doro. Maquiagem: Jessica Tavares. Catering: Lia Sabino e Thaís Ferrari. Preparação de Elenco: Silvio José da Luz. Assistente de Arte: Renata Visentainer. Elétrica: Valmor Deunizio Junior. Montagem: José Luiz Day. Finalização: Carlos Alexandre Martins.

Coletivo Hiato

O Coletivo Hiato é uma editora e comunidade criativa que desenvolve, desde 2012, projetos nas áreas do Cinema, Literatura e Teatro, em parceria com jovens e veteranos artistas catarinenses das regiões de Brusque, Blumenau, Balneário Camboriú e Florianópolis.

Em 2016, deu início aos cursos de longa duração e promoveu atividades de formação técnica, autoral e intelectual para públicos de diferentes áreas. Como escola, proporcionou à comunidade regional um espaço de trocas de conhecimentos e sensibilidades, abrindo as portas semanalmente para que seus grupos discutissem e ressignificassem o consumo, a cultura e o fazer artístico. No Curso de Cinema, desenvolveu durante um ano a análise crítica, o aprofundamento histórico-estético e a produção de materiais audiovisuais. O curta-metragem Carmen é o trabalho de conclusão da primeira turma do curso.

About the author: admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.